Cenas

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Um dia na minha vida.



Se algum dia fizerem a minha biografia, aviso desde já que se vão ver gregos.

A minha história pessoal envolve altos e baixos suficientes para dar uma boa montanha russa (daquelas que quase ninguém anda com o medo). E não me refiro ás coisas boas ou ás coisas más que acontecem na minha vida, mas ao meu estado de espírito! Sou capaz de me deitar feliz por ter escrito um texto que me agradou e acordar no dia seguinte a detestá-lo por o considerar lamechas.

Esperem! Eu acho que já vi isto em algum sítio...

Sim, é isso! Alguém já me tinha avisado.

"A puberdade é acompanhada de mudanças de espírito radicais fruto do processo de amadurecimento, blá, blá, blá..."

Visto que a minha pessoa só existe na óptica das borbulhas na cara e que vidinha só tenho esta, devo dizer que me defino como indefinível.

Defendo políticas que considero correctas pela sua irreverência no quebrar preconceitos e estereótipos e acabo por me misturar com a vergonha e com a ataraxia por cada vez que tento pôr o pé para além da linha limite.

Preocupo-me exageradamente com a estética de tudo o que me rodeia, da organização, da harmonia cromática, do redondo e do esbelto, da luz, do som, do aroma, do toque... mas o meu quarto está permanentemente desarrumado e continuo a não ser exemplo para ninguém no que toca a vestir - não tenho jeitinho nenhum - já para não falar da preguiça para cortar a barba.

Mas a minha história pessoal não se fica por aí, na montanha russa!

Não, não,não!

O meu quotidiano é digno de filme!

Ok, de série!

Pronto, de novela!

Livro?

...

Que diriam vocês de um rapaz que acorda, toma o pequeno almoço a correr para chegar a horas a um jogo de futebol marcado (ele que nem é muito de futebois, mas pronto vá, é uma maneira de estar com os amigos) e acaba por chegar atrasado, ficando á baliza? Um rapaz que não defende uma ova e ainda leva com uma bola no meio das pernas (para os que não sabem, a dor tem uma duração de aproximadamente meia hora - fora os danos psicológicos)? Um rapaz que vai para a praia com um frio de morrer, dá um mergulho, bate com a cabeça na areia ao megulhar, sai da água e descobre que foi picado por um peixe aranha? E que diriam vocês se eu vos dissesse que isto tudo aconteceu num só dia e que esse rapaz sou eu?

Deixo-vos a pensar.

...

Sim, isto é verídico e não, não me estou a lamentar. Simplesmente acho fantástica e cómica a maneira como se desenrola a minha vida! Parece mesmo que faço parte dum argumento de cinema! Não é altamente?

E é a pensar nisto que acordo para enfrentar mais um dia.

Sabem que mais?

Considero-me um sortudo por ser assim! Cada experiência, cada momento...

Cada tombo de rabo dado a cortar a relva de uma inclinação de uma casa para juntar uns trocos...
Cada embaraço por ser por vezes cromo ou até por não saber o que dizer...
Cada mistela que faço na cozinha, apenas porque sabe bem...
Cada vez que faço de "mulher a dias" (frustrado)...
Cada maluqueira que me dá em cada vez que estou "bêbado de sono" (ou até mesmo sóbrio)...
Cada tristeza que me faz pensar que sou a pessoa mais infeliz do mundo...
Cada revolta que me transcende em demasia...
Cada minha insegurança (um drama!)...
Cada vez que me apetece fazer um "freeze" no meio da rua (com toda a gente a pensar que sou maluco - e ok, até sou)...
Cada vez que abano a cabeça de um lado para o outro, rodando de cima para baixo num ritmo digno de epilepsia...
Cada experiência que não passa pela cabeça por ninguém, mas que não hesito em experimentar por ser genuína e pura, por ter sido apanhada por acaso...
Cada vez que me negam por ser assim...



Enfim, cada minuto da minha vida.

Este sou eu. Muito prazer!

2 comentários:

Gui wings disse...

Hum... Primeiro: acho que precisas de uma amuleto da sorte ou então umas mezinhas lá de Vilar de Pedizes.

Segundo: por favor diz que me tens todos esses azares registados em vídeo!

Terceiro: Puberdade, sim existe. Mas adolescência acho que é mais mito para mim que ainda estou presa na infância.

Quarto: Ao ler isto descobri que não sou a única maluca/caçadora da perfeição/desarrumadora de quartos/dicotómica que existe.

Diverti-me imenso a ler(-te)!

м a я τ a disse...

Juro que amanhã venho acabar dee ler os teus textos. Ainda não percebi porque é que comecei a ler dos mais recentes para os mais antigos, mas pronto xD
Só andava à procura de uma imagem de "Caixa d'óculos" e acabei por encontrar um blog bem divertido :D vou cá voltar, vou vou!!